terça-feira, 10 de julho de 2012

Priscilla de Oliveira Azevedo, mulher porreta

Homenageada pela primeira-dama norte-americana Michelle Obama, primeira mulher a comandar Unidade de Polícia Pacificadora 


"Eles me bateram muito, agrediam-me constantemente. Eu pensei que nunca sairia daquilo. Eu estava em uma área isolada da favela, com vários homens armados, eu, uma mulher da polícia, sozinha. Eu só saí viva com a graça de Deus", lembra. Ela conseguiu fugir e a polícia capturou alguns dos criminosos no mesmo dia. No dia seguinte, voltou com seus colegas para perseguir o restante. Em vez do trauma, esse incidente teve o efeito contrário, segundo ela. "Eu não queria parar de trabalhar (...) Percebi que as pessoas das favelas precisavam de ajuda", disse. Há onze anos ela tenta conciliar seu trabalho com os estudos de Direito. "Eu não tenho marido, não tenho filhos nem mesmo noivo, por causa da falta de tempo", explicou, rindo. "Mas eu fui criada para alcançar meus sonhos e para não depender de nenhum homem, de ninguém".
fonte:UOL




Daqui 1 ano vai aparecer alguém com o filme : UPP - Unidade de Polícia Pacificadora. Estrelando Juliana Paes protagonizando a comandante Priscilla de Oliveira


Querem acabar com o tráfico ? Liberem o uso das drogas em centros públicos próprios para usuários (e junto coloquem lá todas essas ONGs malditas). Autorizem apenas as empresas de cigarros e bebidas pra montar suas lojinhas pra comercializar o crack, cocaina, maconha, etc. Pronto ! Quero ver esses traficantes se virarem, vão ter que dar a bunda na comunidade. 


E os drogados que não tiverem dinheiro pra comprar a droga, nada de sair pra roubar, tem que trabalhar nas oficinas nesses centros, e com o dinheiro eles podem compram as drogas e morrer logo de overdose ou então tentar procurar um tratamento especializado no local.




2 comentários:

Paulo Henrique disse...

FRISHT!!!!!11!

Anônimo disse...

Gory, quando vamos ter outro post zoando o Marco Gomes aka M16? Só porque ele se deu bem na vida pararam de zoar ele?

Postar um comentário

Abobra Diário.