quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Inalador, um caiçara movido a cristais.



Walter via algo de errado naquela arvore na calçada da rua . Ela fica ali plantada, um jeito meio arrogante, aquela cara de paisagem, um ar de desprezo, pensava. E por essa cisma, levava seu cachorro, um pastor,  pra mijar nela toda noite.
-       Mija bastante nessa porra dessa arvore, Tôbi, mija aí!

Mas a arvore que era muito astuta, aproveitou-se de uma madrugada chuvosa e trocou de lugar com um coqueiro que morava a alguns metros dali. 

Na noite a seguir foi tal a surpresa de Walter e Toby quando viram que a arvore mudara de lugar e o quanto ardilosa era a mente maligna daquela planta maldita.
-       Olha arvore, isso não vai ficar assim não, você não pode simplesmente atravessar a rua e mudar de lugar, isso aqui não é zona não! 
O homem cuspiu com raiva no tronco e voltou para casa bufando, arrastando o pastor:
-       Essa arvore vai se foder comigo, você vai ver, Tôbi! Vamos!

Walter no dia seguinte foi trabalhar. Silvia, sua esposa, tomava o café da manhã e dava pequenos pedaços de pão para Tôbi que comenta cobiçando um pedaço de bolo sobre a mesa:
-       Sabe Silvia, acho que o Walter esta ficando louco...
-       Porque você diz isso, Tôbi? – disse a mulher jogando mais pão para o cão.
-       Ontem à noite ele ameaçou uma arvore. Falou com ela e tudo...
-       Falou com uma arvore?
-       Sim, falou. ... me passa manteiga nesse pedaço de bolo...Disse ainda que a arvore mudou de lugar, acho que esta ficando doido mesmo.
-       É ter é muita merda na cabeça pra falar com uma arvore, não é? E doido mesmo ele vai ficar é se souber da gente...
-       Falando nisso, vamos?? – Disse o cachorro abanando o rabo freneticamente.

-       Seu cachorro! Safado! – Respondeu Silvia com um sorriso malicioso no rosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abobra Diário.